Sobre baterias…

Eventualmente já se questionou com questões como a autonomia, a capacidade da bateria e qual a melhor forma para efectuar o carregamento do seu equipamento.

Perguntas como:

– o carregamento da bateria é mais eficiente quando deixo o meu equipamento chegar aos zero por cento de bateria, deixando-a descarregar totalmente, ou devo colocar o equipamento à carga  quando este indica 15% de carga?

– é preferível carregar da bateria até que esta atinja os 100%, ou é suficiente que o carregamento alcance somente os 80% e essa forma de carregamento não prejudica a capacidade da bateria?

Resta a derradeira questão ? Porque é que ao longo do tempo a bateria do meu equipamento perde autonomia e necessitamos de colocar o equipamento a carregar mais vezes?

Image by rawpixel.com

Pois bem, não há uma resposta certa e directa. Depende do tipo de bateria que o seu equipamento tem, da capacidade da bateria em mAh (miliampére-hora), do número de células (nos computadores portáteis – notebooks), da marca e até da qualidade do equipamento. Mas uma coisa é certa: Todas as baterias vão-se degradando ao longo do tempo, perdendo autonomia e capacidade de desempenho. 

Actualmente os equipamentos, como os telemóveis, tablets e computadores portáteis (notebook) possuem baterias que possibilitam entre 300 a 600 ciclos de carregamento sem perda de capacidade e de autonomia, o que na prática significa (em média) 2 anos sem ter que se preocupar com essa questão. Depois vai começar a notar que o seu equipamento vai começar a necessitar de ser carregado mais frequentemente, porque a bateria já não possui a mesma autonomia. Significa que lentamente vai perdendo capacidade e autonomia, necessitando de colocar o equipamento a carregar mais vezes, esta situação vai sendo mais frequente, até chegar a altura que percebe que a bateria “morreu” e é altura em que ou deve trocar de bateria, ou trocar de equipamento.

carregamento no carro

Mas voltando um pouco atrás, o que se entende como ciclo de carregamento?

Um ciclo de carregamento é quando efectua o carregamento do equipamento dos 0 aos 100 % (um ciclo de carregamento completo), mas sempre que coloca o equipamento à carga e os 100% (a carga total) é alcançado, a contagem do número de ciclos de carregamento é incrementado. Deste modo, digamos que deve colocar, idealmente, à carga o equipamento quando este está no mínimo a 15% e deve considerar parar quando atinge os 80 % de carga, assim sempre pode “enganar” o número de ciclos de carregamento e dessa forma garantir mais uns meses sem perda de autonomia. Mas como disse, depende do equipamento, não sendo esta uma resposta que se baseie numa evidência cientifica.

Quando vai comprar um equipamento novo, num caso de um telemóvel ou tablet, este deverá ter uma capacidade não inferior a 4000 mAh (miliamperes hora) e se for um computador portátil (Notebook) este deve ter pelo menos 6 ou 9 células. Por isso deve consultar sempre as características do equipamento, de forma detalhada. Pode ficar confuso quando a referência de capacidade da bateria não está mAh (miliampere hora), mas em Wh (Watt-hour), comparar as capacidades da bateria entre watt-hora e em mAh pode ser confuso, já que estas unidade de medida é mais precisa para mostrar a capacidade de acumular energia. Normalmente os telemóveis e os tablets indicam a capacidade de bateria em mAh e os novos Notebooks em Wh. Esta informação deve ser analisada com a mesma unidade de capacidade. Quando o equipamento apresenta uma capacidade em Wh é provável que esteja a medir a voltagem da célula da bateria de lítio, que é 3,6 V ou 3,7 V. Por exemplo, a capacidade real de uma bateria de 10.000 mAh é 10.000 x 3,6 / 1.000 = 36 Watt-hora.

Atenção:

Tão importante como o carregamento da bateria, deve ter atenção à temperatura a que a bateria é exposta, não deve deixar a bateria à luz do sol de forma directa, ou colocar o seu portátil no colo ou em cima de algum cobertor. Superfícies que não deixem “respirar” o equipamento, retém calor e impossibilitam uma boa ventilação. Situação muito prejudicial  para a saúde de uma bateria, provocando perda de capacidade sem que você se aperceba.

Apesar das baterias actuais, não ficarem “viciadas” como acontecia no passado. Os equipamentos mais recentes, possuem baterias seladas, não as podendo remover de forma a poder prolongar a sua vida, como fazia antes. Esta é uma forma dos fabricantes poderem facturar mais um pouco com a substituição destes “spares”, leia-se sobressalentes. Era vulgar os portáteis (notebook) mesmo sem bateria, quando ligados directamente à energia eléctrica possibilitando o seu uso durante vários anos e quando colocava a bateria, esta sempre conseguia ter alguma autonomia. Hoje já não é assim.

De forma a diminuir o gasto de bateria, deve fazer uma boa gestão da bateria. Acredito que não é necessário ter sempre o wi-fi ligado, os dados móveis, o bluetooth, a localização, etc, mesmo que muitos fornecedores de equipamento digam o contrário, é minha opinião que existe sempre um gasto de bateria, porventura, desnecessário. Se não vai utilizar, eventualmente à noite, desligue, mas falo por mim. 

Image by rawpixel.com

Mas vamos entender o que é uma bateria!

Uma bateria, assim como uma pilha, é um equipamento que lhe permite armazenar energia elétrica que será utilizada para “alimentar” um equipamento, para que este funcione de forma autónoma. O seu processo de funcionamento tem por base um processo químico: a transferência de elétrons entre um metal que passa elétrons (eletrodo negativo – ânodo) por meio de um fio condutor, para um metal que tem a tendência de receber os elétrons (eletrodo positivo – cátodo), a grande diferença entre uma pilha e uma bateria é que uma pilha possui apenas um eletrólito, enquanto uma bateria é formada pela ligação de diversas pilhas que são ligadas em série ou em paralelo, criando uma capacidade de armazenar energia com maior capacidade.

Por norma uma pilha, tanto pode ser recarregável ou não, ou seja, uma pilha não recarregável, após gastar a energia, ela deixa de cumprir a sua função e deve ser colocada nos locais apropriados em Portugal, identificados como “Pilhão”  

Para si uma bateria é basicamente algo que para si que lhe permite armazenar energia elétrica, convertendo esta energia elétrica em corrente contínua. Foi Alessandro Volta, um físico italiano, que inventou a primeira bateria em 1800. O termo Volt foi dado em homenagem ao seu nome e ao invento.

Lembre-se que nunca deve deitar uma bateria, ou pilha no lixo. Existem muitos locais onde é possível os colocarmos para reciclagem.

Proteja sempre o ambiente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.